sábado, 29 de outubro de 2011

Just say love


Com todas as sugestões de filmes que eu já fiz aqui, posso sugerir outro, desta vez sem ter que falar sobre ele? Não que ele seja tão brilhante e espetacular que dispense quaisquer comentários (pelo contrário, o roteiro é propício para a discussão de alguns assuntos), não há nada de genial no texto, nem na produção, tampouco nas atuações; na verdade é bem simples, embora complicado. Quer dizer.

Just say love é um filme com linguagem teatral, adaptado da peça de David J. Mauriello. O diretor manteve o aspecto e a dinâmica do teatro, e eu achei o resultado interessante. É praticamente uma peça de teatro filmada. Nada vital, mas diferente. A história faz referência a Platão e suas teorias de amor e atração. Foi um assunto que me chamou a atenção desde a sinopse, e me tem pensando ainda algumas horas após assitir ao filme. E por isso eu decidi não detalhar minha opinião sobre este, como costumo fazer. Vou me limitar a transcever o resumo, como consta no IMDB:

Atrações físicas parecem ser a explicação óbvia para duas pessoas se tornarem um par. Mas seriam elas o reflexo de algo sublime, duradouro ou, ousemos dizer, espiritual? Relacionamentos começam na cama ou no coração? Nesta história de amor entre homens, o êxtase descrito por Joseph Campbell e sábios através dos milênios é uma opção prática para encontrar a felicidade. À medida que a câmera adentra a mente e as ações dos personagens, nós nos realizamos em nível físico e espiritual.

Como disse, é uma produção simples, mas eu me identifiquei e me fez pensar, e isso é algo que eu aprecio num filme.

Para fazer o download, clica aqui.
Link do blog FilmesTemaG.
*Só tem disponível legenda em espanhol.

4 comentários:

  1. Não li que não tinha legenda em português, esperei 4 horas baixando o filme e só fui perceber isso quando fui assistir. Parabéns para mim!

    ResponderExcluir
  2. Allexsandro Ribeiro31 de outubro de 2011 18:53

    Baixando, valeu amigo!

    ResponderExcluir
  3. vi o filme e assino em baixo de sua análise ... perfeita ...

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]