segunda-feira, 30 de abril de 2012

No seu tempo,


O maior trabalho da matéria de Criatividade e Roteirização para o semestre é criar um roteiro dramático de 9-12 páginas. Os requisitos:

- formatação adequada;
- qualidade da trama;
- temas;
- desenvolvimento de personagem;
- estrutura de três atos;
- reviravoltas;
- orginialidade do roteiro.

Passei o primeiro termo do curso coletando ideias num scrapbook, rascunhando cenas e meios diálogos, personagens desenhados na minha mente. Na primeira aula após o recesso, o professor reforçou para a turma os pontos a serem avaliados no trabalho, e ao ouvi-lo dizer "originality of script" minha história desmoronou em pedaços dentro da minha cabeça. Era preciso começar do zero, e sabia que todas as outras ideias no meu scrapbook não seriam de tanta ajuda. Mandei o cérebro pensar, mas sem esperança. Como assim me vem esse professor e me manda contar uma história boa, com início-meio-fim, evolução de personagem e além de tudo, original? Desisti 20 minutos e uma dor de cabeça depois. Mas meu cérebro anotou a tarefa e fez o dever de casa.

Prestes a ir dormir, em um efeito magnético, uma ideia ou duas começaram a se agrupar e a fazer sentido - ideias de coisas que eu já sabia, já tinha pensado antes, que estavam ali só esperando pra serem contadas. Ideias que só precisam de estrutura, personagem, conflito, clímax... E cenas e linhas e falas que façam uma história autêntica. Passei a noite sonhando com a tal história.

É mais ou menos como o tempo que eu passei sem vir aqui, porque não sabia o que escrever. Quando, na verdade, o post já existe, só precisa que eu venha contar.

9 comentários:

  1. Gostei da analogia com postar. Agora queremos ler o roteiro, comprar o livro e assistir no IMAX 3D!

    ResponderExcluir
  2. fato...besta que sou perdi um sem fim de ideias por crer que a cabeça ia lembrar depois..sifudi e hoje ando por todo lado com um caderno anotando ideias para contos e posts...

    ResponderExcluir
  3. É bem como o Melo disse. O post já existe, mas se a gente deixar ele muito tempo da geladeira a gente acaba esquecendo...

    Beijo Joe!

    ResponderExcluir
  4. Às vezes o problema nem é não ter o que contar. Mas sim não saber como contar.

    Acho que a criatividade atua nisso: no "como contar".

    Beijão, Joe!

    ResponderExcluir
  5. Joe, será que poderia postar no meu Facebook a última parte do seu texto, que está escrita à mão? Foi a melhor definição para o que eu sinto em relação às pessoas que já encontrei nesses meus 31 anos de vida.

    Rosana

    ResponderExcluir
  6. quero muito ler a historia, quando estiver pronta posta??? posta???

    Já estava com saudades dos posts

    ResponderExcluir
  7. @Edu: Valeu, queridú. Não sei se vai chegar tão longe, mas valeu pela confiança! hehe

    @Melo: pois é, agora ando com meu scrapbook aonde eu for. Tenhos rascunhos e mais rascunhos espalhados por toda parte - srapbook, molesquine, celular, ipod, laptop.. ta uma zona, mas nao deixo de anotar no que tiver mais perto!

    @Lobo: eu tenho inclusive varios posts na geladeira. As vezes nao é nem o caso de esquecer, mas alguns deles simplesmente excedem o prazo de validade. Tem que postar!

    @SG: saber como contar, exato! Eu prefiro contar direito ou nem contar nada! hahaha é o danado do storytelling que faz uma grande diferença!

    @Rosana: obrigado pelo feedback, é bom saber que as ideias vão além de simples rabiscos. Sendo bem honesto, essa parte que voce gostou é o único trecho desta página que eu to considerando pra incluir na minha história (esses rascunhos eram originalmente ideias pra outra historia que eu tinha em mente). Voce pode postar sim, só me dá o crédito lá, please. Até pq, como eu disse, esse trecho vai entrar no script. Obrigado mais uma vez, good to see you!

    @Anonimo: to desde já pensando se posto ou nao o roteiro aqui quando pronto, mas até lá ainda tenho tempo pra me decidir. Depende de muitos fatores. Obrigado pelo comentario!

    Beijos em todos.

    [j]

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]