domingo, 28 de outubro de 2012

"not even Black Jesus gives a fuck"

Eu nunca fui um Little Monster, e confesso que demorei pra gostar do Born this way, mas quando gostei, achei um dos melhores discos pop de 2011. Eu fiquei obcecado com o som divertido e cheio de referências que o álbum trazia. E foi bem esse o motivo que me levou à plateia da Born this way Ball, turnê da Lady Gaga, no meio do ano.

Existe um storytelling coerente ao longo das duas horas de espetáculo, ao qual Dona Doida acertadamente se refere como uma electro-metal pop-opera. A história se passa em G.O.A.T. (Government Owned Alien Territory), de onde Gaga, mantida prisoneira, escapa dos fortes do Kingdom of Fame, um castelo de dimensões estonteantes que ocupa todo o palco principal. O conceito da turnê é interessante e já foi explicado por aí, vale a pena dar uma lida.

Eu fui de pista com o Sílvio, amigo brasileiro aqui de Sydney, e a noite foi tão satisfatória que não me contive e voei pra Melbourne pra ver mais uma vez. Desta vez, chegamos cedo na fila e garantimos acesso ao Monster Pit, coladinhos ao palco, o que fez da segunda vez ainda melhor. Foi o show mais divertido que eu já vi. Mais do que isso, eu não me senti em uma turnê de artista pop, mas em uma grande festa da qual eu fazia parte, porque a Gaga faz você se sentir como um amigo convidado, livre pra ser feliz na própria pele. Nunca dancei tão à vontade e tão intímo de mim mesmo como nesse show.

Uma pena que no Brasil a experiência nunca vai ser a mesma - o palco não é completo, três apresentações não bastam pro público tão vasto (aqui foram 14 em 4 cidades), o Monster Pit jamais será tão civilizado e os preços são de um abuso sem fim (enquanto aqui eu paguei $179).

Lady Gaga canta ao vivo, dança e troca de figurinos como uma louca num show impressionante, com conceito, produção, talento e muita maluquice. The Born this way Ball é um concerto pra não se esquecer. Aguardando ansioso pelo DVD.






3 comentários:

  1. Acho que vou dar uma chance a Gaga e escutar seus álbuns, seu post me deixou com vontade, hehe. Abração Joe.

    ResponderExcluir
  2. @Rodolfo: eu particularmente não tolero os dois primeiros CDs dela, acho muito cafona (com exceção de Bad romance, Alejandro e Telephone); ja o Born this way eu acho um primor do inicio ao fim.
    ;)

    [j]

    ResponderExcluir
  3. Farei como o Rodolfo, darei uma chance a ela e escutarei Born... mas acho que vai ter que entrar na fila: estou escutando tanta coisa boa ultimamente rsrsrsrs... a propósito, teriam sobrado muitos ingressos no show dela aqui no Rio. E creio que também sobrará da Madonna :-O

    http://revistaquem.globo.com/QUEM-News/noticia/2012/11/ingressos-de-lady-gaga-e-madonna-estao-encalhados-diz-jornal.html

    ;-)

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]