quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

"All I'm sayin'"

– Eu tive uma epifania. Eu acho que foi isso. Fumando um baseado numa antena parabólica: Não importa o que acontece a partir daqui. Quero dizer, importa. É claro que importa, sim.
Mas nada pode retificar o que passou.


{{{}}}

Ontem foi ao ar o episódio final de Rectify, uma das séries mais lindas e tristes da história da televisão, uma produção única e impossível de categorizar. Recomendação imbatível do querido amigo Wans. Logo, hoje foi dia de contemplar o episódio, me perder na estória do Daniel Holden uma última vez, concluir a trama numa apoteose magnífica e espetacular, chorar e rir e chorar. E, em seguida, pensar na vida.

Sim, estamos quebrados. Sem dinheiro, sem estrutura, e sem saber como andar adiante. Por mim, posso dizer que boa parte deste ano sabático-forçado-improvisado eu passei sentindo uma leve culpa. De estar desperdiçando tempo, sem investimentos, sem construir carreira, sem avanços, e ainda mais às vésperas de concluir os 30 anos. Vai chegando a hora de arredondar a casa da idade e os agravantes parecem se tornar ainda mais complicantes.
Mas hoje eu não quero cultivar essa culpa de gastar um ano parado, com pouco a somar. Não há o que fazer, senão mudar de atitude, porque aquilo que foi não se muda. Pode ser que a inspiração se dissipe dentro de pouco, mas valeu a reflexão.

De todo modo, o que realmente importa, e se, de tudo que eu disser, apenas uma coisa for aproveitada, que seja isto: assista a Rectify.

{{{}}} 

– Isso é o melhor que conseguimos? É o máximo que podemos esperar?
– Nem todo mundo tem as mesmas expectativas, Daniel. Se você não está feliz com as suas circustâncias, você precisa tentar mudá-las, ou, se não puder ou não for praticável, você deve mudar sua atitude em relação a elas.
– Certo.
– Certo?
– Certo. O que você disse faz sentido, é prático, previsível, realista.
– Eu acho que esta situação que você está enfrentando, embora não seja confortável, é positiva, no fim das contas, Daniel. O fato de você ter  expectativas... de estar sentindo decepção. Pra mim, expectativa é como um parente mais complicado da esperança. Você tem esperanças de alcançar algo melhor, certo? Algo diferente, algo a mais. Isso não é ruim, entende? Quando foi a última vez que você se decepcionou por ter tido esperança? Eu garanto que você não é diferente de nenhum de nós nesta sala.


Nenhum comentário:

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]