quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Lily Allen no Rio, foi assim...

A Lily Allen trouxe sua turnê para o Brasil e eu fui conferir o show no Rio de Janeiro, no dia 17 de setembro. Do aeroporto até a Barra, dei uma passada pela Zona Sul e pude ver alguns dos pontos mais bonitos, como Copacabana, Ipanema, Botafogo e a própria Barra. Parece que o Rio se preparou pra mim, e tratou de baixar a temperatura pra 22°, às quatro horas da tarde. Depois de umas voltas pelo Barra Shopping (pra não correr o risco de me perder pela cidade), peguei meu táxi direto pro HSBC Arena, entrei na fila e consegui ficar a uns 10 metros de distância do palco.

Quem assistiu ao show sabe que a voz talentosa que se ouve no CD é a mesma que ela expõe ao vivo; e, ainda que o público não fosse tão vasto, a empolgação dela no palco era a mesma de quem toca para um estádio lotado. Divertida, íntima das suas músicas, entrosada com o público e extremamente afinada no palco, a Lily cantou todas as músicas do último CD, It's not me, it's you, e alguns dos maiores hits do álbum de estreia, Alright, still. Entre uma música e outra, ela conversava com a plateia, dava uns goles em sua bebida e fumava seu cigarro eletrônico, que acendia uma luz verde, e por trás da banda, o nome "Lily", em letras grandes, mudava de cor durante todo o show.

Ouvi uma garota ao meu lado dizendo que "Lily Allen não é música para pobre", ao tentar justificar o número de pessoas na área do show, e eu entendi o que ela quis dizer com isso. Ela faz um tipo de música cuja qualidade nem todo mundo capta, e talvez por isso o alvoroço em cima do show tenha sido mínimo. De qualquer forma, a apresentação da Lily Allen, ali na minha frente, foi algo para eu nunca esquecer: uma estrutura de palco simples, uma banda afiada e uma cantora excelente e cheia de si. Música de qualidade, empolgante, com letras que têm muito a dizer.
Abaixo, trechos do show.


EVERYONE'S AT IT


I COULD SAY


NEVER GONNA HAPPEN


OH MY GOD


EVERYTHING'S JUST WONDERFUL


22


HIM


WHO'D HAVE KNOWN


LDN


BACK TO THE START


HE WASN'T THERE


LITTLEST THINGS


CHINESE


SMILE


THE FEAR


FUCK YOU


NOT FAIR



Lily provou que é uma artista de conteúdo e de atitude, que canta bem, e que sabe usar sua música como um instrumento para dizer o que quer, pesando a relevância das suas experiências e de suas opiniões. Quando a música tem esse efeito nas pessoas, vale a pena fazer música.

E então, me despedi do Rio - passeio de táxi, aeroporto, noite sem dormir, duas horas de voo, Brasília.

2 comentários:

  1. Se soubesse que viria ao Rio teria marcado algo para conhecer o sr. pessoalmente.
    Abs

    ResponderExcluir
  2. Uê. Identifique-se, homem! Phill de onde? Blog? Alguma coisa? Hehe.
    Da próxima vez, aviso com antecedência.

    [j]

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]