sábado, 11 de junho de 2011

Com vistas ao atrevimento

Passei a noite com minha tia, vendo os videos da viagem que fiz a Roraima em janeiro, quando passei férias com minha prima. Além de assistir aos quatro DVDs, passamos um tempo conversando bobagens e planos pro futuro próximo (aquele a menos de 3 meses daqui). Nessa conversa, minha tia me contou sobre um cara que ela conheceu no avião, indo pra Boa Vista passar uns dias com minha prima.

Ela, no seu assento, e o rapaz sentado do outro lado do corredor ficaram se entreolhando. Ela conta como ele era lindo e tinha uma boca tão provocativa. Com o voo concluído, todos se dirigiram ao salão de desembarque, e logo os dois se esbarraram na esteira de bagagens. Eis que o moço enfim toma coragem, se aproxima e pergunta "A gente pode conversar?", e minha tia, imediata, retira o adesivo do controle de bagagem, cola no peito dele e responde, assim sucinta: "Me liga".

Antes do cara tomar a iniciativa, ela já havia se preparado, anotando o telefone na etiqueta. Quem deu o primeiro passo foi ela, afinal. Depois disso eles se falaram, se viram e todo o resto. Ouvi a história e imaginei a situação tal como uma cena de comédia romântica. Achei a atitude dela tão confiante e ousada! Preciso aprender a afiar minha autoconfiança dessa forma. Fazer as coisas aconteceram antes mesmo que elas aconteçam. Saber o que eu quero e resolver. Conquistar com o esforço fruto da minha vontade; e se não houver conquista, mas insucesso, ao menos eu terei o prazer da audácia.

11 comentários:

  1. é, mas auto-confiança dela não serviria de nada se ele não tivesse se aproximado né?
    isso é sempre uma via de mão dupla.

    ResponderExcluir
  2. Cada um com sua moral da história, né.

    [j]

    ResponderExcluir
  3. Com essa demonstração de auto-confiança, o telefone acabaria sendo usado - não fosse nesta e com este rapaz, em alguma situação. Fato é que ela não esperou de braços cruzados.

    ResponderExcluir
  4. Hei, Joe, acho teu blog incrível.

    Sem mais.



    Pedro Dias.

    ResponderExcluir
  5. Joe!

    Gente, adoro gente com iniciativa. Um pouco de inveja por não ter tipo, nenhuma :p

    Concordo que nesse caso, o primeiro passo foi da sua tia. Olha o impacto disso. Eu não teria coragem de não ligar pra alguém que colou um adesivo com o telefone no meu peito na minha frente, nem que fosse pra matar a curiosidade hahaha

    Beijo Joe!

    ResponderExcluir
  6. Ah. Por isso que não estou tendo sucesso. O negócio é ir à caça em Congonhas.

    ResponderExcluir
  7. adorei o "causo contado".

    uma vez li no meu horóscopo que leoninos são audaciosos e, quando decidem, conquistam.

    é a única característica do meu signo que eu sempre esbarro e penso "não, não é uma ciência exata. nem é uma ciência. não pode ser"

    desde então eu venho trabalhando nisso. bem lentamente, devo dizer.

    sua tia foi uma inspiração.

    ResponderExcluir
  8. gostei.
    também não sou assim um poço de iniciativa mas, se tiver com umas na cabeça, arrisco bastante.

    palmas pra titia.

    ResponderExcluir
  9. Se ele não tivesse chegado nela, tenho certeza de que ela daria um jeito de colar esse papel nele de outra forma. ou na bagagem dele.

    Sabe qual conclusão tirei dessa sua história? Eu queria uma tia dessas! Na minha família está em falta!

    ResponderExcluir
  10. Imagino q no seu caso nao seja falta de auto confiança e sim timidez! Mas com o tempo e a necessidade de se arriscar, perdemos isso! Rsrs

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]