domingo, 13 de novembro de 2011

O que é de César

Como eu já dizia nos cartões postais, Benin, eu tenho um problema. O caso de hoje é sobre minha notável incapacidade de dividir espaço.

 
Analiso o tempo que passei com o rolo D., ano passado; gostava de mim, me queria por perto, pedia que eu dormisse com ele na sexta, no sábado, e quando fosse possível. Íamos rumo a algo sério, mas tudo ruiu. Não consegui dividir meu tempo livre e minha intimidade.
No começo deste ano, era o rolo V. quem me queria bem perto, preso no seu abraço, mesmo diante das circustâncias complicadas; era mais forte do que ele - mais do que eu também. Logo eu me senti sufocado com a presença sem fim, as ligações ao longo do dia, a casa dele e não a minha. Aquilo não tinha como dar em nada, mas tinha como funcionar. Porém, não funcionou.

Vendo por um contexto diferente, vim pra Austrália sabendo que teria de encarar esse trauma e que seria penoso. A opção invariavelmente seria dividir um flat, um quarto, uma cama - e, ainda que seja com gente conhecida, espaço e privacidade viraram conceitos abstratos. Meus nervos tem sido testados e massacrados em ataques diários, tem sido o maior desafio dessa experiência, a ponto de me bater a vontade de gritar e voar de volta pra casa, às vezes. Eu sei que sempre fui solitário, mas se esses testes práticos da vida não me bastam pra aprender a lição, começo a ficar realmente desesperado ao constatar que talvez eu não tenha solução. Pode ser um caso de egoísmo, ou intolerância, talvez um mix disso com impaciência. O que me preocupa é pensar que esse comportamento possa não mudar jamais. Porque, com ambos os rolos D. e V., tive a grande frustação de compreender que, embora eu persista em querer alguém pra mim, cada outro rolo que eu eventualmente tiver será mais um murro nessa faca cuja ponta meus punhos exaustos há tanto encontram.

5 comentários:

  1. Tem bastante gente curtindo relacionamento em casas separadas. Braccini e Elian, inclusive, há trocentos anos! Então pode ser um caminho...

    ResponderExcluir
  2. Sou do partido do Foxx. Gosto de dividir o cobertor.

    E olha que é de solteiro, ainda...

    ResponderExcluir
  3. Não há nada melhor do que ter um espaço só seu. Pra se trancar, ver ninguém e depois voltar a social. Isso renova a mente ;)

    ResponderExcluir
  4. Joe, você é apenas um legítimo representante dos introvertidos:
    "Os introvertidos são pessoas (...) reservadas, observadoras. Preferem os arredores conhecidos do lar e as horas íntimas com poucos amigos mais chegados. (...)
    É na reflexão, no silêncio, na tranquilidade que ele encontra harmonia. Ao invés dos contatos constantes, dos grandes grupos, o introvertido prefere companhias mais seleccionadas, apreciar boa música e ler um bom livro. (...)
    os introvertidos tendem a ser (...) bons ouvintes, pensadores criativos e com muito conhecimento sobre si mesmos. (...) Eles também se expressam melhor pela escrita do que falando”
    Texto integral:
    pt.wikipedia.org/wiki/Personalidade_introvertida

    Daniel de Brasília

    ResponderExcluir
  5. Sou chamado de anti-social o tempo todo, pois prefiro ir para casa ler um livro do que ficar com trocentas pessoas do trabalho que eu conheço superficialmente um churrasco barulhento.
    (By the way I hate small talk.)

    Daniel de Brasília

    ResponderExcluir

© 2008-2017 wando joe [ from joe ]